família / idiomasprincipais regiões onde o idioma é (foi) faladoobs.
família Aimará
aimaráBolívia / Peru / Chile / Argentinac. de 2,8 milhões de falantes
família Araucânia (Mapundungu)
mapuche (mapudungun, mapundungu ou araucano)Chile / Argentina (La Pampa; Neuqué; Rio Negro e Chubut) c. de 250 mil falantes
família Aruaque (Arawakan ou Aruak)
arawak (aruaque)Suriname / Guiana / Guiana Francesa / Venezuelac. de 2.500 falantes
caribe insular ou caribe ilhéu (iñeri - island carib) (+)Língua falada outrora nas ilhas caribenhas de Dominica, São Vicente e Grenadinasapesar do nome, era uma língua aruaque que surgiu a partir da conquista dos tainos (família aruaque) por tribos de língua caribe / nesta época, surgiu então um fato linguístico interessante: as mulheres tainos tomadas pelos caribes continuaram a falar sua língua entre elas e com os filhos pequenos, ao passo que os homens ensinaram o caribe para seus filhos; surgiu, então, uma língua mista: vocabulário caribe sobre uma base gramatical aruaque; essa característica persistiu por muitas gerações até a extinção deste idioma na década de 1920
garífuna ou caribe negro (black carib)Honduras / Guatemala / Belize / Nicarágualíngua derivada do idioma caribe insular / o nome caribe negro provém do fato deste povo haver se miscigenado com grupos de escravos africanos / atualmente, falada por c. de 200 mil pessoas
parecisBrasil (Mato Grosso)c. de 2 mil falantes
taino (+)Língua falada pelos índios tainos nas ilhas caribenhas de Cuba, Hispaniola, Jamaica, Porto Rico e Bahamasos tainos foram o povo indígena encontrado por Colombo em sua primeira viagem / a língua se extinguiu no século XVI
terenaBrasil (Mato Grosso do Sul)c. de 15 mil falantes
família Caraíba (línguas Caribe)
araraBrasil (Pará)c. de 300 falantes
atroari (waimiri-atroari)Brasil (Amazonas; Roraima)c. de 900 falantes
caribe (cariña; galibi; kalihna)Venezuela / Guiana / Suriname / Guiana Francesa / Brasil (Amapá)c. de 7 mil falantes
macuxi (macushi)Brasil (Roraima) / Guiana / Venezuelac. de 18 mil falantes
família Chapacura (Chapacuran; Chapakura)
pacaás-novos (pakaas-novos; wari)Brasil (Rondônia)c. de 1.900 falantes
família Chibchana (Chibchan)
chibcha (muisca; mosca) (+)Língua falada pelos índios chibchas (muíscas) na região da Colômbia e América Centralextinta no século XVIII
família Chon
tehuelche (+)Língua falada outrora pelos tehuelches (patagões ou patagônios) na Patagônia argentinaos tehuelches adotaram a língua mapuche (mapudungun) e sua língua original acabou se extinguindo entre os anos 1960 e 1970
família Guaicuru
guaicuru (+)Língua extinta falada pelos guaicurus na região entre o Pantanal sul-matogrossense e o Chaco paraguaio
kadiwéu (cadiuéu)Brasil (Mato Grosso do Sul)os kadiwéus (c. de 1500 falantes) são descendentes dos guaicurus
paiaguá (+)Língua extinta falada pelos paiaguás na região do Pantanal sul-matogrossense
família Macro-Jê (Tapuia) (línguas vivas: 13)
obs: a palavra tapuia é uma designação dada às tribos que não falavam as línguas da família tupi, não se referindo a nenhuma etnia em particular
borôroBrasil (Mato Grosso)c. de 1.300 falantes
botocudo (aymoré) (+)Língua extinta falada pelos botocudos na região compreendida entre os rios Jequitinhonha e Doce (sul da Bahia e norte do Espirito Santo e Minas Gerais)população estimada dos botocudos na época do descobrimento: 30 mil
caiapó (txucarramãe)Região do rio Xingu (estados de Mato Grosso e Pará)c. de 7 mil falantes
caingangEstados de São Paulo; Paraná; Santa Catarina e Rio Grande do Sulc. 18 mil falantes
carajáRegião do rio Araguaia e ilha de Bananal (estados de Goiás e Tocantins)c. de 2.700 falantes
cariri (+)Língua extinta falada pelos cariris no interior do nordeste do Brasil (principalmente, regiões dos atuais estados de Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba)população estimada dos cariris na época do descobrimento: 25 mil
coroado (+)Língua extinta falada pelos coroados na região compreendida entre os rios Paraiba do Sul e Doce (estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais)os coroados eram remanescentes dos goitacases / inicialmente, formavam uma só tribo com os puris, mas depois tornaram-se inimigos / os portugueses os denominaram de coroados devido ao corte de cabelo em forma de coroa (tonsura)
goitacá (guaitacá) (+)Língua extinta falada outrora pelos goitacases na região compreendida entre o rio São Mateus no Espírito Santo e o rio Paraíba do Sul, no atual estado do Rio de Janeiro
guaianá (+)Língua extinta falada outrora pelos guaianases na região da serra do Mar no trecho entre as atuais cidades de Angra dos Reis - RJ e Cananéia - SP
jabuti (+)Língua praticamente extinta falada pelos índios jabutis em Rondôniaquase todos os remanescentes (c. de 190) só falam o português
krenak (+)Língua quase extinta falada pelos krenaks no vale do rio Doce em Minas Gerais e Espirito Santosomente as mulheres mais velhas falam a língua krenak, denominada por eles de borum / homens, jovens e crianças de ambos os sexos falam só o português / c. de 350 falantes
maxacaliMinas Gerais (vale do rio Mucuri)c. de 1.200 falantes
pataxó (+)Língua extinta outrora falada pelos pataxós no sul da Bahiaatualmente, os remanescentes desta tribo (c. 4600) só falam português
puri (+)Língua extinta falada pelos puris na região dos atuais estados de São Paulo (Vale do Paraíba), Rio de Janeiro, Espirito Santo e Minas GeraisOs puris eram remanescentes dos goitacases. Inicialmente formavam uma só tribo com os coroados, mas depois tornaram-se inimigos.
tairirius (tarairus) (+)Língua extinta falada pelos tairirius no nordeste brasileiro, na região dos atuais estados de Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba e Pernambucoacredita-se que os índios canindé (jenipapo-kanindé) que hoje ainda sobrevivem no Ceará sejam descendentes dos tairirius
timbira (canela)Maranhão e Paráa língua timbira é falada por várias grupos desta etnia com pequenas diferenças dialetais, tais como: canela; gavião; krahô; kreye e krikati. Ao todo, são c. de 3 mil falantes
xavanteMato Grossoc. de 10 mil falantes
xerenteTocantinsc. de 1.800 falantes
xoklengSanta Catarinac. de 700 falantes
família Nambiquara (nambikwara)
nambiquaraBrasil (Mato Grosso; Rondônia)c. de 1.900 falantes
família Panoan
pano (panobo, manoa) (+)Língua extinta falada pelos panos na região do rio Ucayali no Peruúltimo falante morreu em 1991
família Quíchua
quíchua clássico (+)Língua extinta falada pelos incas na região andina (Colombia, Equador, Peru, Bolivia, Chile e Argentina), tendo como centro o atual Perulíngua oficial do antigo Império Inca
quíchua modernoPeru / Bolivia / Equador / Colômbia / Chile / Argentinapossui mais de 40 dialetos e c. de 10 milhões de falantes / o quíchua é mais falado, atualmente, do que na época da conquista espanhola, pois muitas tribos o adotaram como língua própria.
família Tucano
tucanoBrasil (Amazonas) / Colômbiac. de 4.600 falantes
família Tupi
avá-canoeiro (canoeiro)Língua quase extinta falada na ilha de Bananal, estado de Tocantinsc. de 17 falantes
caeté (+)Língua extinta falada pelos caetés no litoral do nordeste brasileiro entre a ilha de Itamaracá (Pernambuco) e o rio São Franciscopopulação estimada dos caetés na época do descobrimento: 75 mil / os caetés foram extintos no século XVI
carijó (+)Língua extinta falada pelos carijós no litoral que se estendia de Cananeia (SP) até a Lagoa dos Patos (RS)população estimada dos carijós na época do descobrimento: 100 mil / os carijós foram extintos em meados do século XVIII
cinta-largaMato Grosso / Rondôniac. de 1.300 falantes
gavião (gavião-de-rondônia; ikolen)Rondôniac. de 500 falantes
guajajara (tenetehara)Maranhãoc. de 13 mil falantes
guaraniParaguai / Argentina (Corrientes e Missiones) / Brasil (Mato Grosso do Sul)língua oficial do Paraguai (juntamente com o espanhol); c. 4,8 milhões de falantes
guarani-kaiowá (caiuá; kaiwá; kaiova; cainguá)Brasil (Mato Grosso do Sul) / Paraguaic. de 43 mil falantes
maué (sateré-mawé)Amazonasc. de 9 mil falantes
nhengatuBrasil (região do rio Negro no Amazonas) / Colômbia / Venezuelaa língua nhengatu descende diretamente do tupi antigo; c. de 8 mil falantes
parintintimAmazonasc. de 400 falantes
potiguar (+)Língua extinta falada pelos potiguares na região dos atuais estados de Rio Grande do Norte e Paraíbapopulação estimada dos potiguares na época do descobrimento: 90 mil / atualmente, os remanescentes dessa tribo habitam o estado da Paraíba e só falam o português
suruí (suruí de Rondônia; paiter)Rondônia e Mato Grossoc. de 1 mil falantes
tabajara (+)Língua extinta falada pelos tabajaras na região que se estende da foz do rio Paraíba, no estado de mesmo nome, até a ilha de Itamaracá, em Pernambucopopulação estimada dos tabajaras na época do descobrimento: 40 mil
tamoio (+)Língua extinta falada pelos tamoios na região litorânea que se estende do norte do atual estado de São Paulo até a Baía de Guanabara no estado do Rio de Janeiropopulação estimada dos tamoios na época do descobrimento: 70 mil
temiminó (+)Língua extinta falada pelos temiminós na região litorânea dos atuais estados do Rio de Janeiro e Espírito Santopopulação estimada dos temiminós na época do descobrimento: 18 mil
tupi antigo (tupinambá; língua geral tupi; língua brasílica) (+)Língua extinta falada pelos tupinambás na região baiana que se estende da margem direita do rio São Francisco até a Baía de Todos-os-Santos (Recôncavo Baiano)na época do descobrimento, a população tupinambá era estimada em cerca de 110 mil pessoas / a língua tupinambá foi adotada como língua franca (língua de comunicação entre grupos linguisticamente distintos) ao longo de grande extensão do litoral brasileiro passando a ser conhecida como língua brasílica, língua geral, ou simplesmente tupi / foi o idioma mais falado no Brasil até meados do século XVII
tupiniquim (+)Língua extinta falada pelos tupiniquins em duas regiões distintas: 1) sul do atual estado da Bahia e 2) litoral do atual estado de Sao Paulo, entre Santos e Bertioga)os tupiniquins foram os índios que entraram em contato com os portugueses da expedição de Cabral em 1500 / na época do descobrimento, a população tupiniquim era estimada em cerca de 90 mil pessoas (atualmente ainda existem cerca de 2.600 tupiniquins no Espírito Santo, mas só falam português)
urubu (kaapor; caapor)Maranhãoc. de 800 falantes
família Yanomami
yanomami (ianomâmi)Brasil (Roraima e Amazonas) / Venezuelac. de 35 mil falantes
Línguas isoladas e/ou de familias não-identificadas
cacán (kakán; diaguita; calchaquí; cacano) (+)Língua extinta falada no norte da Argentina (atuais províncias de Salta, Catamarca, La Rioja, Tucuman)língua falada pelas diversas tribos (mais de 20) que compunham a chamada "nação diaguita": calchaquies, quilmes; tafis, amaichas, capayanas, entre outras. A língua cacán foi, aos poucos, substituída pelo quíchua
charrua (+)Língua extinta falada pelos charruas no Uruguai, Brasil (Rio Grande do Sul) e Argentina (Entre Rios)estudos recentes indicam que a língua falada pelos charruas fazia parte de uma família linguística (Charruana) juntamente com outras três línguas, todas já extintas
minuano (+)Língua extinta falada pelos minuanos no Uruguai, Brasil (Rio Grande do Sul) e Argentina (Entre Rios)acredita-se que os minuanos, assim como os charruas, fossem oriundos da Patagônia / a partir do início do século XVIII as duas tribos se uniram
tapes (+)Língua extinta falada pelos tapes na região da Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul
ticunaBrasil (Amazonas) / Peru / Colômbiac. de 50 mil falantes
tremembé (+)Língua extinta falada outrora na região litorânea dos atuais estados do Maranhão, Piauí e Cearápopulação estimada dos tremembés na época do descobrimento: 20 mil / os remanescentes desta tribo (c. de 3 mil) só falam português