• O que são: estrelas são corpos celestes que se caracterizam por se constituírem em uma grande massa de gás quente produzindo energia através da fusão nuclear (transformação de hidrogênio em hélio).
    (obs.: as estrelas  se distinguem dos planetas pelo fato de possuirem luz própria).
  • Classificação: os principais critérios são por tipo de espectro (cor) baseado na temperatura da superfície estelar  ou por  magnitude aparente (brilho) que depende da luminosidade verdadeira (magnitude absoluta) e da sua distância da Terra.
  • Alguns tipos:
    • Estrela binária: duas estrelas que ficam em órbita de um centro de massa comum;
    • Estrela múltipla: três ou mais estrelas em órbita de um centro de massa comum;
    • Estrela dupla: duas estrelas que parecem estar muito próximas uma da outra e que podem estar fisicamente associadas (estrela binária) ou não;
    • Estrela variável: estrela cuja luminosidade varia em uma escala de tempo menor que 100 anos.
  • Ciclo de vida  (principais fases da evolução estelar)
    • Origem: as estrelas surgem a partir de vastas nuvens de gás e poeira cósmica (nebulosas) dentro de galáxias.  Após milhões de anos, uma parte de uma nebulosa se condensa, diminui de tamanho  e se aquece  tornando-se uma grande esfera de gás, isto é, um objeto estelar jovem.
    • Objetos estelares jovens (YSO – young stellar object): a estrela jovem dispersa o remanescente da nuvem de nascimento e dá inicio à  geração de energia.
    • Sequência principal: fase mais extensa e importante das estrelas caracterizada pela fusão nuclear do hidrogênio transformando-o em hélio.
    • Gigante vermelha: início da fase final de evolução estelar; após exaurir todo o  hidrogênio de seu núcleo,  a estrela  passa a queimar o hidrogênio de uma camada que cobre o núcleo chamada concha; a estrela então se expande e se torna enorme e extremamente brilhante e vermelha; quando esta nova camada de hidrogênio se esgota, a estrela passa a queimar o hélio; o fim da  estrela ocorre com a exaustão do hélio.
    • Estágio final: a morte de uma estrela depende de sua massa: estrelas menores se transformam em anãs-brancas; as maiores  podem se extinguir como  supernovas, estrelas de nêutrons ou buracos negros.
      • anãs-brancas: são estrelas compactas: pequenas e  muito densas (exemplo: massa similar à do Sol mas com diâmetro comparável ao da Terra); na verdade, são os restos de uma estrela que está se  extinguindo.
      • supernovas: explosão enorme que destroi a estrela inteira e expulsa para o espaço até 90% de sua matéria; ela se torna milhões de vezes mais brilhante por pouquissimo tempo (semanas ou meses)  e o núcleo remanescente se transforma numa estrela de nêutrons ou  mesmo num buraco negro.
      • estrela de nêutrons: estrelas pequenas e intensamente brilhantes.  (obs.: pulsares são um tipo de estrela de nêutrons).
      • buracos negros: objetos extremamente densos e compactos cuja  gravidade  é tão forte que nem mesmo a luz consegue escapar de dentro dele.
  • Estrelas mais próximas da Terra
  • Estrelas mais brilhantes
  • Maiores estrelas conhecidas